3 Tecnologia VS Social!

fevereiro 21, 2011
ONDE ENCONTRAS:
SIMPLICIDADE ... EMOÇÕES ... AFECTO HUMANO ... CARINHO ... AFEIÇÃO ... AMOR ... AJUDA ... ATENÇÃO ... O CHEIRO DA NATUREZA ... SORRISOS ... ALEGRIA ... AMIZADE ... 
???
video

Com o passar dos anos a tecnologia está cada vez mais presente no dia-a-dia das pessoas, seja na área da educação, medicina, compra e venda pela internet ou no uso doméstico.
Uma das principais mudanças é o relacionamento entre o grupo de amigos e a maneira de se divertir. Hoje em dia, utiliza-se as tecnologias (como por exemplo o computador ou telemóvel)  de várias maneiras para sobreviver e até mesmo para se relacionar com os outros.

O QUE PENSAS SOBRE ESTA REALIDADE?

1 Elogio à vulnerabilidade

fevereiro 17, 2011
Dois desejos em conflito: o de ser perfeito e o de ser verdadeiro. Sou
incentivado a esconder tudo aquilo que em mim é fraco e frágil, e, sem
me aperceber, ganho medo da vulnerabilidade. E do medo passo à
frustração por não ser aquilo que acho que devo ser.

Mas ao mesmo tempo, há Alguém que me convida a ser pequeno e humilde.
Não a rebaixar-me, mas a ser aquilo que sou. Nem mais, nem menos. Com
tudo o que tenho de belo e de obscuro. E aceitar que é neste encontro
de verdade que sou grande, que sou amado na minha fragilidade.
"É preciso coragem para ser imperfeito. Aceitar e abraçar as nossas
fraquezas e amá-las. E deixar de lado a imagem da pessoa que devia ser
para aceitar a pessoa que realmente sou." (Brene Brown)
                                     
                                                                                Bernardo Caldas

0 História de S. Valentim

fevereiro 14, 2011
"Existem várias teorias relativas à origem de São Valentim e à forma como este mártir romano se tornou o patrono dos apaixonados. Uma das histórias retrata o São Valentim como um simples mártir que, em meados do séc. III d.C., havia recusado abdicar da fé cristã que professava. Outra defende que, na mesma altura, o Imperador Romano Claudius II teria proibido os casamentos, para assim angariar mais soldados para as suas frentes de batalha. Um sacerdote da época, de nome Valentim, teria violado este decreto imperial e realizava casamentos em sigilo absoluto. Este segredo teria sido descoberto e Valentim teria sido preso, torturado e condenado à morte. Ambas as teorias apresentam factores em comum, o que nos leva a acreditar neles: São Valentim fora um sacerdote cristão e um mártir que teria sido morto a 14 de Fevereiro de 269 d.C.

Muitas são as tradições associadas ao dia de São Valentim, variando de país para país. Por exemplo, nas Ilhas Britânicas na altura dos Celtas, as crianças costumavam vestir-se de adultos e cantavam de porta em porta, celebrando o amor; no actual País de Gales, os apaixonados trocavam entre si prendas como colheres de madeira com corações gravados, chaves e fechaduras, o que significava «Só tu tens a chave do meu coração».
Já na Idade Média, em França e na actual Inglaterra, no dia 14 de Fevereiro, os jovens sorteavam os nomes dos seus pares e estes eram cosidos nas mangas durante uma semana. Se alguém trouxesse um coração costurado na camisola, isso significava que essa pessoa estava apaixonada.
Ao longo dos tempos, as tradições de São Valentim foram adquirindo um grau de complexidade cada vez maior. A cada ano que passava, foram-se criando novas tradições, lendas e brincadeiras, como é o caso das mensagens apaixonadas.
A tradicional troca de cartões, cartas e bilhetes apaixonados no dia 14 de Fevereiro teve origem na altura da própria lenda de São Valentim, quando este teria deixado um bilhete à filha do seu carcereiro. No entanto, não há qualquer facto que comprove esta lenda.
Porém, é certo que, no século XV, Charles, o jovem duque de Orleães, terá sido o primeiro a utilizar cartões de São Valentim. Isto porque, enquanto esteve aprisionado na Tower of London, após a batalha de Agincourt em 1945, terá enviado, por altura do São Valentim, vários poemas e bilhetes de amor à sua mulher que se encontrava em França.
Durante o século XVII sabe-se que era costume os enamorados escreverem poemas originais, ou não, em pequenos cartões que enviavam às pessoas por quem estavam apaixonados. Mas, foi a partir de 1840, na Inglaterra vitoriana, que as mensagens de São Valentim passaram a ser uniformizadas. Os cartões passaram a ser enfeitados com fitas de tecido e papel especial e continham escritos que ainda hoje nos são familiares, como é o caso de «would you be my Valentine».
Nos dias de hoje, é entre os mais novos que estas mensagens de São Valentim são mais populares, sendo uma forma de expressarem as suas paixões."

0 Amor e Amizade

fevereiro 12, 2011
DOIS ELEMENTOS DO GRUPO DO 10.º ANO APRESENTARAM, HOJE, UM TRABALHO SOBRE AMOR E AMIZADE COM VISTA À SENSIBILIZAÇÃO SOBRE ESTES DOIS CONCEITOS. TENDO O SEU OBJECTIVO SIDO ALCANÇADO DE UM MODO MUITO POSITIVO, VIMOS FELICITAR-LHES PELO SEU DESEMPENHO E DEDICAÇÃO. PARABÉNS!


Numa sala de aula, havia várias crianças. Quando uma delas perguntou à professora: "-Professora, o que é o amor?", a professora sentiu que a criança merecia uma resposta à altura da pergunta inteligente que fizera. Como já estava na hora do recreio, pediu para que cada aluno desse uma volta pelo pátio da escola e trouxesse o que mais despertasse nele o sentimento de amor.
As crianças saíram apressadas e, ao voltarem, a professora pediu: - Quero que cada um mostre o que trouxe consigo.
A primeira criança disse:
     - Eu trouxe esta flor! Não é linda?!      
A segunda criança falou:
-Eu trouxe esta borboleta; veja o colorido das suas  asas; vou colocá-la na minha colecção.   
A terceira criança completou:
- Eu trouxe este filhote de passarinho. Ele tinha caído 
do ninho junto com outro irmão. Não é tão engraçado? 
E assim as crianças foram-se colocando. Terminada a exposição, a professora notou que havia uma criança que tinha ficado quieta o tempo todo. Ela estava vermelha de vergonha, pois nada havia trazido. A professora dirigiu-se a ela e perguntou-lhe:
     - Minha querida, por que é que não trouxeste nada?
     E a criança timidamente respondeu:
     - Desculpe, professora. Vi a flor e senti o seu perfume. Pensei  em arrancá-la, mas preferi deixá-la para que seu perfume exalasse por mais tempo. Vi também a borboleta, leve, colorida! Ela parecia tão feliz que não tive coragem de aprisioná-la.Vi também o passarinho caído entre as folhas, mas, ao subir à árvore, notei o olhar triste de sua mãe e preferi devolvê-lo ao ninho. Portanto professora, trago comigo o perfume da flor, a sensação de liberdade da borboleta e a gratidão que senti nos olhos da mãe do passarinho. Como posso mostrar o que trouxe?
      A professora agradeceu à criança e deu-lhe nota máxima, pois ela fora a única que percebera que só podemos trazer o amor no coração.

Amigo é aquela pessoa que o tempo não apaga,
Que a distância não esquece,
Que a maldade não destrói.
É um sentimento que vem de longe,
Que ganha um lugar no teu coração
E tu não substituis por nada.
É alguém que sentes presente,
Mesmo quando está longe.
Que vem para o teu lado quando estás sozinho
E nunca nega um sentimento sincero.
Ser amigo não é coisa de um dia,
São actos, palavras e atitudes…
Que se solidificam no tempo
E não se apagam mais.
Que ficam para sempre como tudo o
que é feito
De coração aberto.  

0 Auto - Estima

fevereiro 09, 2011

"É muito comum ouvirmos as pessoas dizer que se amam, que mantêm a sua auto-estima em alta, mas o amor próprio é muito mais profundo do que imaginamos.

Gostas incondicionalmente de ti?
És feliz na tua vida como ela está?
Fazes todas as coisas que te fazem bem?
Procuras tomar decisões em favor da tua felicidade?

Logicamente que a maioria das respostas será "não". Se uma pessoa não se ama, não procura fazer a sua própria felicidade, não conseguirá jamais amar verdadeiramente outra pessoa. Como pode dar algo que não tem?
Uma pessoa pode dizer que ama outra pessoa, mas o que acontece é que ela deve estar apenas apaixonada e paixão é bem diferente de amor.
Dentro da aura de cada um existe um campo magnético que produz o magnetismo do amor.
Quando uma pessoa se ama de verdade, esse campo magnético começa a irradiar um fluxo de energia especial, que se expande sobre todas as pessoas do seu convívio. Até mesmo alguém que não conheças, quando se aproxima, sente um calor ou um sentimento de amor, sente vontade de ficar ao teu lado, de conversar, estreitar laços de amizade.
Este encontro magnético acontece porque existe em ti um factor de atracção do Amor Próprio, e este só acontece quando alguém irradia telepaticamente e, como é lógico, só conseguirá irradiar esta energia se realmente o estiver a sentir.
É por esta razão que muitas vezes algumas pessoas não se sentem bem ao lado de outras e, dependendo da situação, considerando a falta de conhecimento, é comum pensarem que essas outras podem estar "carregadas". No entanto, elas não estão carregadas no sentido literal da palavra. O que acontece é que estão sem nenhum Amor Próprio e, desta forma, irradiam ao espaço esta sensação de negatividade.
Uma pessoa que não se ama não está preparada para atrair a pessoa certa no amor e, quando atrai alguém, certamente será a pessoa errada e futuramente verá o erro que cometeu. Muitos querem encontrar a verdadeira alma gémea, mas como se não existe o principal dentro dela?
Todas as pessoas que não se amam, pelo seu magnetismo pessoal, acabam atraindo também pessoas com a mesma característica e, devido a esta atracção, começam a acontecer problemas em relação à afectividade; acabam sempre dividindo mágoas e ressentimentos.
Nunca poderemos dar amor, ou sermos amados verdadeiramente, se não formos os primeiros a fazê-lo. E para isso precisamos de aprender a nos dar amor. E como é possível isso? Vejamos:
* Quem se ama de verdade evita pensar ou vivenciar o passado triste e, quando se lembra, mentaliza-o apenas como experiência para a sua evolução, vê de forma fria e natutral tudo o que aconteceu no passado, procura tirar proveito dos acontecimentos do passado.
* Quem se ama de verdade mantém o controlo emocional para não deixar as calúnias, palavras ofensivas e desarmonias caírem sobre a sua Aura.
* Quem se ama de verdade não espera ser compreendido mas prefere compreender as pessoas de um modo geral, mantém-se de bem com a vida e não se preocupa com a opinião alheia. Não dá ouvidos às críticas, para que elas não evoluam.
* Quem se ama de verdade não guarda raiva, rancor ou ressentimento; vê tudo à sua volta como se fosse um processo de auto-conhecimento; está sempre disposto a perdoar e compreender em qualquer situação.
* Quem se ama de verdade não aceita sugestões negativas, policia os seus pensamentos e procura analisar cada um.
* Quem se ama de verdade não se magoa, nem fica a chorar quando é magoado/a. Não se entristece por qualquer razão, não perde o controlo em qualquer situação e não se deixa levar por qualquer situação negativa.
* Quem se ama de verdade não tem medo da morte, doenças, pobreza ou falta de dinheiro, não sente medo, não se apega a nada.
* Quem se ama sente coragem e segurança de sempre recomeçar, se for necessário, sem medo do desconhecido."

0 Homossexualidade

fevereiro 04, 2011
              QUAL A TUA OPINIÃO SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE?